SLIDER

Lançamento: Escritor mineiro lança Livro de poesias que revisita o gênero no combate ao preconceito





O livro de poesias “Quenda, Maria!” de Moisés Guimarães a ser lançado na livraria Cultura do Rio de Janeiro em 29 de setembro às 18h traduz em versos a singularidade do jeito de falar de gays, travestis e assemelhados que usam o pajubá como meio de comunicação.



Os arranjos que fornecem a base para o jogo proposto pelo autor traz em seu ritmo uma dicção ao texto, acrescendo-se camadas de oposições intercambiantes, um plano vocabular que denuncia o abandono, o escândalo, o que é impróprio.



Muito da imprevisibilidade dos versos em seus poemas está ligada ao abandono da métrica, que permite a súbita intromissão de um verso longo em meio a outros menores ou vice-versa (“A inocência perdia, pilhava/ ampliando o desejo de quem não se percebia/ há vontade de anoitecer). O próprio esquema de rimas, em geral entrelaçadas, enforma e ao mesmo tempo permanece maleável às necessidades da argumentação, variando mais de uma vez no mesmo poema.




Quenda Maria, a sonoplastia!


bonito de se ter o bofe da coxia


e o espetáculo que lhe serve como via


habita a fúria do seu curto dia.





e





As esteiras em paralelo


elo


Selam em comitiva


iva


A passarela do ritmista.



A convocação a um sem número de Marias que o texto evoca: Guida, Rosa, Camila, Noêmia, Josefa, Luci, Joana, Natasha, Chica, Laurinha e a própria Maria, são as mulheres de Moisés, personagens de sua poesia que pedem voz; poderiam algumas delas também ser travestis? Elas perpassam os textos de “Quenda, Maria!” e dão sentido a eles. Pois elas são o próprio texto. E as Marias são várias.



Para o autor, “o Brasil está se encaretando, estamos assistindo a um retrocesso nos direitos adquiridos, sobretudo nas políticas de promoção da igualdade sexual e, se o livro pode ser visto como um manifesto, que seja para visibilizar quem sofre opressão diariamente por se expressar fora da norma”.  E é com esse vocativo “quenda” que significa “veja”, “fique atento” que o autor convoca seus leitores para mergulhar em seus poemas.



CURTA O EM NEON NO FACEBOOK



"Quenda, Maria!" apresenta uma poesia que revisita o gênero através de hábitos e desejos das mais diversas Marias, bem como de toda comunidade LGBT. Segundo Celi Santos, prof. de Literatura “o livro de Moisés Guimarães está longe de ser um libelo de gírias do universo homossexual, ele traz para a literatura, atualmente tão heteronormatizada, um pouco da ironia e da crítica intrínseca no pajubá, mas também nos hiatos e silêncios tão comuns da poesia”.



Em sua espontaneidade engenhada, os poemas de "Quenda, Maria!" exibem uma articulação bastante esperta de recursos simples – até singelos -, à maneira dos compositores e poetas populares. Apresenta-se uma poesia que não reconhece obstáculos colocados pela lógica, pela coerência e pelo medo. Ela está lançada para o ávido leitor com um pouco da irreverência desse dialeto pajubá, oriundo de matriz africana, que convoca um novo olhar as tantas e tão diversas manifestações humanas.




Ontem pedi dois pães e um leite.


Não parti do portão


o caramujo domou-me


e veio a revelação


choque térmico espreitado, sô


Cadê Nonô?


faz tempo que não me dou por variado


quero Rosa somando aos meus badalos


cerra-se floresta no meio do si fragmentado.


[Cooperação]







Serviço


Lançamento do livro Quenda, Maria!


Autor: Moisés Guimarães


Quando: 29/09/16


Onde: Livraria Cultura Cine Vitória




Endereço: Rua Senador Dantas, 45 – Centro - RJ





Imagem: Divulgação





A Redação